Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2010 05 ANPR divulga nota de apoio aos procuradores do caso Veron

ANPR divulga nota de apoio aos procuradores do caso Veron

última modificação 17/05/2010 18:06

Associação afirma que Marco Antonio Delfino de Almeida (PR/MS) e Wladimir Aras (PR/BA) foram vítimas de críticas equivocadas.

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) publicou nota de apoio aos procuradores da República Vladimir Aras e Marco Antonio Delfino de Almeida. Os dois atuam no julgamento dos acusados pela morte do cacique guarani-kaiowá Marco Veron, ocorrida em janeiro de 2003.

Segundo a associação, eles foram vitimas de críticas equivocadas da juíza federal Paula Mantovani e da Associação Nacional de Juízes Federais do Brasil (Ajufe), por terem deixado, no dia 4 de maio de 2010, o plenário do tribunal do júri.

Os procuradores deixaram o júri após a juíza impedir que vítimas e testemunhas indígenas fossem ouvidas em sua língua, o guarani, por intermédio de um intérprete. A ANPR também desmente a versão da Ajufe que afirma que não houve impedimento de livre expressão linguística por parte da juíza. O direito dos indígenas à sua identidade cultural e ao seu idioma tem fundamento em diversas normas, pactos e tratados internacionais.

A ANPR rebate as críticas de que a suspensão do júri foi um desperdício de dinheiro, apontando tudo se se deu em consequência da "decisão equivocada e antijurídica" da juíza. "Nenhum gasto seria bastante para reparar a violação dos direitos linguísticos e culturais do povo guarani-kaiowá".

Clique aqui para ler a nota.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

Ações do documento