Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2010 06 UFGD acata recomendação do MPF e anula questões de concurso público

UFGD acata recomendação do MPF e anula questões de concurso público

última modificação 15/06/2010 12:46

15 questões da prova foram anuladas. Será publicada nova classificação final.

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) acatou recomendação do Ministério Público Federal (MPF) e anulou 15 questões da prova para o cargo de técnico em enfermagem do Hospital Universitário (HU), realizada em 25 de abril. As questões anuladas não eram inéditas, o que contraria o regulamento do concurso.

A UFGD vai publicar o resultado final com nova classificação, concedendo a pontuação das questões anuladas a todos os candidatos. Os candidatos aprovados que ainda não apresentaram títulos também poderão fazê-lo.

Entenda o caso

A recomendação originou-se de um procedimento administrativo instaurado no MPF a partir de representações feitas por candidatos ao concurso público.

O regulamento do concurso determina que a Universidade Federal de Goiás deveria elaborar as provas objetivas para todos os cargos, que teriam 2355 questões inéditas. No entanto, candidatos denunciaram a ocorrência de plágio em 18 questões da prova para técnico em enfermagem, que teriam sido copiadas do livro Perguntas e Respostas Comentadas de Enfermagem, de Andréia Patrícia Gomes e colaboradores, da Editora Rubio.

O MPF constatou que 15 questões eram cópias idênticas do livro ou com pequenas alterações, como inversão na ordem das alternativas ou substituição de elementos gramaticais, "com o fim de dissimular o plágio" .

Conforme o procurador da República Raphael Otávio Bueno dos Santos, "não houve justificativa plausível da Pró-Reitoria de Ensino e Graduação da UFGD acerca das coincidências entre as questões da prova e aquelas dispostas no referido livro, restando, pelo contrário, ainda mais evidenciado que as questões da prova foram copiadas".

Ainda, quanto à denúncia de que quatro candidatos teriam sido convocados para as provas de títulos sem terem sido aprovados nas provas anteriores, a UFGD esclareceu que se trata de candidatos deficientes físicos que, embora não tenham atingido a mesma pontuação dos demais candidatos aprovados, foram aprovados para as vagas reservadas àqueles candidatos. Assim, quanto a esta denúncia, o MPF acolheu a justificativa da UFGD e não identificou irregularidade na convocação dos candidatos.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

Ações do documento