Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2010 07 Prefeitura de MS atende MPF e muda programa de alimentação escolar

Prefeitura de MS atende MPF e muda programa de alimentação escolar

última modificação 27/07/2010 14:51

Coronel Sapucaia, na fronteira com Paraguai, tinha controle deficiente do uso de recursos federais, que até julho somavam 100 mil reais

A prefeitura de Coronel Sapucaia acatou recomendação do Ministério Público Federal (MPF) e promoveu mudanças no programa de alimentação escolar, que funciona com recursos públicos federais. O município, que fica no extremo sul de Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai, não tinha qualquer controle sobre o fornecimento e utilização dos produtos da merenda escolar.

No bojo do Inquérito Civil Público instaurado pelo procurador da República Luís Cláudio Senna Consentino para apurar os fatos, restou evidenciado que nem a Secretaria de Educação nem as escolas tinham registro da distribuição ou recebimento dos alimentos. Na prática, isso significa que não havia fiscalização sobre a correta aplicação dos recursos públicos. Somente até julho deste ano, a prefeitura recebeu repasses de 100 mil reais do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), do Ministério da Educação.

Também não havia nutricionista acompanhando o preparo da merenda, nem representante das comunidades indígenas do município na composição do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), o que contrariava a previsão do art. 11 e 12 da Lei nº 11.947/09 e o art. 26, § 6º, da Resolução nº 38/2009 do Conselho Deliberativo do FNDE, respectivamente.

Recomendação acatada

Após a expedição de recomendação pelo MPF, a Secretaria de Educação passou a realizar maior controle do recebimento e das condições de armazenagem dos produtos, através de um responsável em cada escola. A prefeitura, por sua vez, contratou nutricionista, que acompanha semanalmente as escolas e analisa a preparação e a higiene dos produtos, bem como promove a capacitação das merendeiras e organiza os cardápios.

Foram eleitos dois representantes indígenas para o CAE (Elias Lopes e Ananis Lescano), pela comunidade indígena reunida na escola municipal Ñande Reko Arandu, na Aldeia Taquaperi, com a presença da Funai, em 2 de junho. Eles participarão da primeira reunião do Conselho em agosto.

A Secretaria de Educação disponibilizou uma sala para as reuniões do CAE, bem como um veículo para facilitar a locomoção dos conselheiros que precisam visitar as escolar para melhor desempenhar suas atribuições e fiscalizar a qualidade da merenda fornecida aos alunos da rede pública.

A prefeitura deverá ainda, além das medidas descritas, remeter ao CAE para aprovação, anualmente, o Relatório de Gestão da execução do PNAE no Município, conforme artigo 34 da Resolução nº 38/2009 do FNDE.

Fiscalização da CGU

A ação do MPF baseou-se em fiscalização da Controladoria-Geral da União (CGU), que em novembro de 2009 relatou execução deficiente do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) no Município de Coronel Sapucaia. A procurador afirma ainda que, de acordo com o art. 20 da Lei nº 11.947/09, o FNDE pode suspender os repasses dos recursos do programa de alimentação escolar caso sejam detectadas irregularidades em sua execução, caso o município não preste contas dos recursos anteriormente recebidos, ou mesmo deixe de efetuar os ajustes necessários ao pleno funcionamento do CAE.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

Ações do documento