Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2010 10 MPF/MS: Em Corumbá, Incra não utiliza R$ 500 mil que dispõe para obras de abastecimento de água em assentamentos

MPF/MS: Em Corumbá, Incra não utiliza R$ 500 mil que dispõe para obras de abastecimento de água em assentamentos

última modificação 28/10/2010 10:49

Assentados estão sem água desde o começo do mês. Dinheiro do BID não foi aplicado.

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) recomendou a imediata regularização do abastecimento de água no assentamento Tamarineiro II-Sul, em Corumbá (MS), fronteira de Mato Grosso do Sul com a Bolívia. O MPF quer que os assentados recebam, emergencialmente, água de caminhões-pipa.

A recomendação foi encaminhada à Prefeitura Municipal de Corumbá, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul).

Sem água desde dois de outubro

O MPF recebeu denúncia de interrupção do fornecimento de água no setor 3 do assentamento, onde vivem 58 famílias. Elas estão sem água até para consumo próprio desde dois de outubro. A temperatura média da cidade pantaneira nesta semana é de 35º com picos de até 39º.

Em 2008, o Incra recebeu recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para realização de obras nos assentamentos Taquaral, Tamarineiro II-Sul e Paiolzinho, em Corumbá, por meio do Programa de Aperfeiçoamento da Consolidação dos Assentamentos - PAC.

Está prevista a aplicação de 500 mil reais em melhorias do sistema de abastecimento de água dos assentamentos.

Após dois anos, poucas metas estabelecidas foram concretizadas devido à omissão do Incra em elaborar projetos e providenciar a contratação dos serviços para as obras de saneamento básico e demais metas previstas nos convênios. Há o risco do recurso não ser utilizado, pois o prazo para que ele seja aplicado é julho de 2011.

Jogo do empurra

Em julho, o MPF enviou ofícios aos órgãos, perguntando por que o problema não era resolvido. Ninguém assumiu a responsabilidade. A Funasa informou que não fez o reparo no poço artesiano do assentamento porque a Prefeitura de Corumbá não firmou parceria. O Incra disse que solicitou parceria à Funasa. A Sanesul declarou estar à disposição para auxiliar no reparo dos poços, mas afirmou que depende do retorno de um funcionário, que está afastado por licença médica. A prefeitura informou que está aguardando contatos dos outros órgãos.

Os órgãos têm o prazo de cinco dias, a partir do recebimento da Recomendação, para informar as medidas que serão tomadas. Caso não atendam ao pedido, o MPF ajuizará medida judicial para que seja determinado liminarmente o fornecimento imediato de água aos assentados e reparos emergencias no poço artesiano.

Recomendação

Recomendação é uma forma extrajudicial de atuação do MPF. A recomendação não tem valor de ordem judicial, mas deve ser observada para evitar ação judicial. É um recurso usual para melhoria de serviços públicos ou de relevância pública bem como para fazer respeitar os direitos coletivos.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

Ações do documento