Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2011 06 Empresa cumpre TAC e doa equipamentos para órgãos policiais em Corumbá

Empresa cumpre TAC e doa equipamentos para órgãos policiais em Corumbá

última modificação 01/06/2011 15:47

Doação de equipamentos eletrônicos e materiais foi feita para compensar danos ambientais

Na semana passada, órgãos responsáveis pela fiscalização de crimes contra o meio ambiente na região de Corumbá e Ladário, no Mato Grosso do Sul, receberam a doação de  computadores, impressoras, cadeiras, kits para equipar motos, câmeras digitais e de segurança e até óleo diesel. As doações, que totalizam 34 mil reais, resultaram do cumprimento integral de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) elaborado pelo Ministério Público Federal.

O acordo foi firmado entre o Ministério Público Federal em Corumbá e uma empresa de engenharia que presta serviços ao município para compensação de danos ambientais ocasionados pela extração irregular de saibro - calcário alterado - na zona rural de Ladário, no Pantanal de Mato Grosso do Sul.

O 6° Batalhão de Polícia Militar de Corumbá/MS foi beneficiado com a doação de computadores, cadeiras e kits para equipar as motos. A Delegacia de Polícia Federal  recebeu computadores, impressoras, câmera digital, interfone e câmeras de segurança. Já a Polícia Militar Ambiental foi contemplada com a doação de óleo diesel.

A empresa extraía saibro irregularmente na região conhecida como Estrada Codrasa, na zona rural de Ladário, sem autorização do Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM. Havia dúvidas, também, acerca da existência de licença ambiental autorizando o município a extrair material naquela área. A extração foi determinada em uma área de 1,03 hectare, mas foram explorados 4,6 hectares - quatro vezes mais que o permitido. Parte da área, ainda, corresponde a uma autorização de pesquisa pertencente a outra empresa.

O TAC é um título executivo extrajudicial. É um dos instrumentos utilizados pelo Ministério Público para resolver um problema sem que seja necessário levá-lo à Justiça. Quando ele é assinado, as partes se comprometem a cumprir determinadas condicionantes. Se isso não acontece, o Ministério Público pode pedir execução do TAC, para o juiz obrigar as partes ao cumprimento.

 

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

Ações do documento