Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2011 12 MPF/MS: Sonorizadores da MS 164 danificam casas em assentamento

MPF/MS: Sonorizadores da MS 164 danificam casas em assentamento

última modificação 14/12/2011 12:15

MPF pede na Justiça que equipamentos sejam substituídos. Problema afeta vinte famílias do Assentamento Itamaraty I, em Ponta Porã.

MPF/MS: Sonorizadores da MS 164 danificam casas em assentamento

Rachadura em casa próxima à rodovia.

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) solicitou à Justiça Federal que os sonorizadores instalados da rodovia MS 164 sejam substituídos por outro modelo de redutor de velocidade. Segundo investigações, o equipamento instalado tem provocado rachaduras nas casas próximas à rodovia. Vinte famílias da Vila do Secador, no Assentamento Itamaraty I – construído para fins de reforma agrária, em Ponta Porã/MS - tiveram suas residências danificadas nos últimos dois anos.

Laudo técnico requisitado pelo MPF e elaborado por engenheiro civil indicado pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso do Sul (CREA-MS) concluiu que os danos causados à estrutura das casas resultaram da passagem de veículos pesados pelos sonorizadores. Moradores relatam que, quando esses veículos passam, utensílios domésticos, vidros de janelas e portas trepidam.

De acordo com o laudo, a trepidação foi uma das causas das trincas nos imóveis. Para evitar que elas se transformem em rachaduras e provoquem o colapso nas estruturas das casas, colocando em risco a integridade física dos moradores, o engenheiro recomenda a retirada do equipamento.

Patrimônio público

As casas construídas no Assentamento Itamaraty I são da União. Elas foram concedidas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para os assentados como maneira de concretizar e viabilizar a Política Nacional de Reforma Agrária. Desta forma, o dano causado nas casas não apenas afetam os moradores, mas também os bens que são patrimônio público federal.

Para o MPF, os assentados, apesar de não serem proprietários das casas, são considerados legítimos possuidores e têm o direito de gozar de uma moradia sem perturbações ou danificações. Assim, o Ministério Público Federal também solicita à Justiça que as rachaduras provocadas pelos sonorizadores sejam indenizadas, em valor a ser definido de acordo com os danos causados em cada caso.

Na ação, o MPF pede, liminarmente e com base no laudo técnico, que os equipamentos sejam retirados em 20 dias úteis e, posteriormente, substituídos por outros que não causem danos, sobretudo considerando que a MS 164 corta o perímetro urbano do Assentamento Itamaraty I e a ausência de controladores de velocidade no local pode colocar em risco a vida dos moradores que usualmente atravessam a rodovia.

Confira aqui algumas imagens das casas danificadas, que integram laudo técnico apresentado pelo engenheiro civil .


Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

Ações do documento