Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2012 04 MPF acompanha ações de combate à Dengue em Corumbá

MPF acompanha ações de combate à Dengue em Corumbá

última modificação 18/04/2012 14:17

Surto da doença poderá levar à instalação de hospital de campanha na fronteira com a Bolívia

Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, o número de casos de dengue em Corumbá, a 425km de Campo Grande (MS), é considerado alarmante, 83,4 para cada 100 mil habitantes. É a cidade com o maior número de casos da doença no estado. Atento ao caso, o Ministério Público Federal cobrou das autoridades maior empenho para resolver esta grave questão de saúde pública. Na última quinta (12), o MPF reuniu-se com representantes da Prefeitura Municipal, do Conselho Municipal de Saúde e da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul), ocasião em que foi apresentada uma lista de ações emergenciais a serem adotadas pela Prefeitura no combate à dengue e medidas que a Sanesul poderá implementar para auxiliar as ações do município.

Entre as medidas adotadas está o atendimento ininterrupto, 24 horas por dia, nas unidades de Pronto Atendimento Nova Corumbá, Cristo Redentor e Gastão de Oliveira, que realizarão a coleta de material para exames laboratoriais. O Pronto Socorro municipal contará com um setor específico para os casos suspeitos de dengue. Os agentes comunitários de saúde passarão a atender a população aos sábados, domingos e feriados. Em relação aos imóveis reincidentes identificados com focos do mosquito, o município aplicará multas e poderá encaminhar os casos mais graves ao Ministério Público Estadual, para a adoção das providências cabíveis, inclusive de natureza criminal.

Saneamento

A Sanesul informou que, em virtude das obras em andamento, novas regiões do município já estão sendo abastecidas com água durante todo o dia e que “até 2013 quase 100% das residências receberão água tratada 24h por dia”. A empresa fará a inserção de mensagem na fatura mensal de água e esgoto dos municípios de Corumbá e Ladário, alertando sobre os cuidados necessários à eliminação dos focos do mosquito da dengue, além de distribuir material de esclarecimento sobre a doença.

A empresa estuda ainda duas outras medidas. Aquisição e doação ao município, de forma emergencial, de cinco mil capas de tela para cobertura de reservatórios de água ao nível do solo, ou doação ao município dos recursos necessários para essa aquisição. Inserção na mídia local de mensagens informando que não há mais necessidade de manutenção de reservatórios de água ao nível do solo nas residências que já são servidas com água 24 horas ao dia.

O MPF irá ainda se reunir com a prefeitura e os comandos do Exército e da Marinha, para discutir a instalação de um hospital de campanha na fronteira da cidade com a Bolívia, para evitar mortes dos cidadãos bolivianos que procuram atendimento no país.

Prevenção

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Quando infectada, a pessoa sente febre, dor de cabeça, dores no corpo, olhos e náuseas. O aparecimento de manchas vermelhas na pele, sangramentos na gengiva, no nariz e vômitos podem indicar um sinal de agravamento para um quadro de dengue hemorrágica. Ao surgirem os primeiros sintomas, deve-se procurar a unidade mais próxima para atendimento e não tomar medicamentos a base de ácido acetil salicílico (AAS) e anti-inflamatórios, pois podem dificultar o diagnóstico e aumentar o risco de hemorragias.

Segundo o Ministério da Saúde, a melhor forma de evitar a dengue é combater os criadouros do mosquito transmissor, que se formam em locais que acumulam água. Em casa, não se deve deixar acumular água em copos plásticos, vasos de plantas, pneus velhos, garrafas e lixeiras. Se a pessoa tiver que armazenar água em caixas d'água ou latões, deve mantê-los sempre tampados. O Ministério alerta ainda para alguns mitos sobre a prevenção da doença, como o de que velas de citronela e a ingestão de vitamina B são fundamentais no combate à dengue.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

 

Ações do documento