Você está aqui: Página Inicial Serviços Sala de Imprensa Notícias 2014 04 Violações a direitos indígenas, foco de nova audiência da Comissão Nacional da Verdade em MS

Violações a direitos indígenas, foco de nova audiência da Comissão Nacional da Verdade em MS

última modificação 03/04/2014 14:58

Relatos de 6 etnias poderão ser base para possíveis pedidos de indenização coletiva, ou outras ações compensatórias, em favor das comunidades indígenas

Violações a direitos indígenas, foco de nova audiência da Comissão Nacional da Verdade em MS

Evento inédito busca provas da violação dos direitos indígenas em MS

A 2ª Audiência da Comissão Nacional da Verdade em Dourados (MS), que vai tratar da violação de direitos indígenas entre 1946 e 1988, vai ser realizada de 24 a 26 de Abril. O evento vai ocorrer no cine auditório da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Na abertura, às 19h do dia 24, o pesquisador Marcelo Zelic apresentará o Relatório Figueiredo, fruto de investigação sobre violência contra indígenas no país durante a ditadura militar. 

Zelic encontrou o documento - que se julgava desaparecido em um incêndio - e suas descrições de torturas contra índios realizados com apoio do extinto Serviço de Proteção ao Índio. 

cnv4

Nesta segunda sessão serão apresentados nove casos de violação contra os indígenas em Mato Grosso do Sul, que culminaram na expulsão de seus territórios tradicionais. A audiência contará com a presença das etnias guarani-ñandeva, guarani-kaiowá, terena, kadiwéu, kinikinau, ofaié-xavante e guató, todas de Mato Grosso do Sul. Especialistas acompanharão os depoimentos devido à dificuldade dos indígenas com a língua portuguesa.

  cnv3

As informações e depoimentos desta segunda audiência vão somar com as já colhidas pela Comissão Nacional da Verdade em 21 de fevereiro, na 1ª audiência da CNV voltada para os direitos indígenas no país. Poderão servir como base para possíveis pedidos de indenização coletiva, ou outras ações compensatórias, em favor das comunidades indígenas. 

Para o procurador da República Marco Antonio Delfino, "é importante que nós entendamos este processo histórico, que ocasiona 60 suicídios ao ano. A violência sistêmica começou lá atrás, capitaneada pelo Estado brasileiro. Crimes foram cometidos, remoção de populações inteiras, para atender interesses particulares. Estamos resgatando o direito à verdade, à reparação e, principalmente, agindo para que isso não se repita". 

Confira abaixo vídeo com trechos de depoimentos e fotos do evento.


 

Clique aqui para ver as fotos da 1ª audiência.

Violência

A população indígena de Mato Grosso do Sul é a 2ª maior do país, com mais de 70 mil pessoas. A maior etnia é a dos guarani, que habitam territórios ao sul do estado. A taxa de mortalidade infantil entre a etnia guarani-kaiowá é de 38 para cada mil nascidos vivos, enquanto a média nacional é de 25 mortes por mil nascimentos. Já a taxa de assassinatos - cem por cem mil habitantes é quatro vezes maior que a média nacional.

Confira aqui a programação do evento.

 

Serviço:
-2ª Audiência Comissão Nacional da Verdade
-Violações de Direitos Indígenas (1946-1988)
-24 a 26/04/2014
-Abertura: 24/04 às 19h
-Depoimentos: 25 e 26/04, a partir das 7h30
-Universidade Federal da Grande Dourados -Rodovia Dourados - Itahum, Km 12 - Cidade Universitária, Dourados (MS)

 

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

Ações do documento